quinta-feira, 15 de junho de 2017

Wald...

Pedro Cuiça © Hovdala - Suécia (2016)

Caminhos da Floresta (Holzwege)

Holz [madeira, lenha] é um nome antigo para Wald [floresta]. Na floresta [Holz] há caminhos que, o mais das vezes sinuosos, terminam perdendo-se, subitamente, no não-trilhado.
Chama-se caminhos da floresta [Holzwege].
Cada um segue separado, mas na mesma floresta [Wald]. Parece, muitas vezes, que um é igual ao outro.
Porém, apenas parece ser assim.
Lenhadores e guardas-florestais conhecem os caminhos. Sabem o que significa estar metido num caminho de floresta.


HEIDEGGER, Martin (1977): Caminhos da Floresta. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2012, 2ª ed., pp. 458. ISBN 978-972-31-0944-3

Pedro Cuiça © Monsanto - Portugal (2016)

terça-feira, 30 de maio de 2017

Song of the Stars

© Cristina Agostinho


We are the stars which sing
We sing with our light
We are the birds of fire
We fly over the sky
Our light is a voice
We make a road for the spirit to pass over



The Path of Love


Until the queendom come.
I stay strung
Like prayer beads
Creator take lead
I am nothing but
Your seed.
Nothing but a dream
You had long ago.
Speak through me.
Breathe through me.
Walk through me.
Be through me.
But it's not about me
anymore.
Used to keep time and keep
score.
Now I surrender
Remember what I prayed
for.
A chance to be wood
for the fire of Your love.
Idolize the doves.
Taking notes as I watch
the deer walk.
Take stock of the diversity
of gifts freely provided by an
everlasting force.
Consequences when we
step off the path
of love.
We confront our own death,
but life is just a step,
just a breath
away.
Just take my breath
away.
Look inside your self before
you take a book off the shelf.
Introspect on high peaks.
Mother Earth is a mirror.
Take a walk in the mountains
and see your own beauty in her.
She's a fountain.
She's grounded.
She knows your shame and secrets but only holds you sweeter.
Let's you cry into her mountainside,
get taken by the tide.
She's connected to the moon
as much as she is
connected to you.
There are times when we feel
lost but just take a second to look.
The stars are inscriptions about
who you are.
Don't let the city lights
let your mind wander too far.
It's not real,
it's a construction of fear.
A delusion, the solution is to
take those shoes off and
step to the sunset.
The trees remind you
as the breathe your breath
and then return it once again to you.
This is the truth.
Reciprocity and roots.
In your marrow,
in your tooth.
You were made by loving hands to hold
things in your loving hands.
Like this, it forever expands.
You think your not important
but Spirit knows every grain of sand.
Doesn't care about the fame,
knows each and every child by name.
We hate God for all the hatred
in the world
and then turn around
and kick the dog?
Is it really God's fault?
Is she really to blame?
For all this suffering and pain?
Or have we simply forgotten
the lessons that were taught
by the rain?
Use your words carefully;
Step with humility;
Give your heart generously;
Love unconditionally.
If we only did this,
we wouldn't be sad
constantly.
Through forgiveness of self
and others we return to the
Constant Dream.

Lyla June


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Scouting: Raids and Hikes

O Núcleo da Barra do Corpo Nacional de Escutas (CNE) vai realizar, na próxima quarta-feira (24 de Junho), mais uma acção de formação, desta feita sob o tema «Condução, Cuidadoria e Responsabilidade em Actividades de Escutismo». A iniciativa, que irá decorrer das 21.30 às 23.30, na sede do Agrupamento 113 de S. Domingos de Rana, insere-se no Marés de Formação, um programa de formação para candidatos a dirigentes e dirigentes escutistas. A formação de adultos é fundamental para assegurar elevados níveis de qualidade e de segurança nas actividades de campo, designadamente raids e hikesO Núcleo da Barra, que é um dos sete núcleos do CNE na região de Lisboa, abarca os concelhos de Cascais e de Oeiras, envolvendo 22 Agrupamentos e cerca de 2300 escuteiros.


quarta-feira, 17 de maio de 2017

Walking-Pedestrianismo


Na próxima sexta-feira (dia 19 de Maio) irei integrar o painel de palestrantes da sessão “Walking-Pedestrianismo” do workshopTurismo Ativo e Ar Livre – Desafios para o Desenvolvimento do Cycling & Walking em Portugal e na Região Centro”, onde apresentarei a comunicação “Pedestrianismo e Percursos Pedestres: simplesmente andar?”, na qualidade de Director Técnico de Montanha da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMP). O workshop, organizado no âmbito da conferência internacional INVTUR 2017 – Cocriar o Futuro do Turismo, ocorrerá, das 10.00 às 18.00, no Espaço BIT (Business Innovation Tank), situado no Campus Universitário de Santiago da Universidade de Aveiro.
A conferência internacional INVTUR 2017, que decorre de 17 a 19 de Maio, trata-se de um dos maiores eventos na área do turismo da Península Ibérica, como se pode constatar pelo amplo e diversificado programa. Esta quarta edição da INVTUR constituirá certamente mais uma importante plataforma interactiva – dinâmica e internacional – onde académicos e profissionais poderão partilhar conhecimentos no âmbito das suas investigações e experiências. Paralelamente à conferência realiza-se também o BIT – Business Innovation Tank, de que faz parte a sessão "Walking-Pedestrianismo" e onde mais de 30 empresas e organizações apresentarão experiências inovadoras nas diversas áreas do turismo. Esta iniciativa é organizada pela Universidade de Aveiro, o Turismo do Centro de Portugal e a Idtour – Unique Solutions, Lda..


ATENÇÃO: a participação no workshop é gratuita mas sujeita a inscrição prévia.

terça-feira, 16 de maio de 2017

Fórum Terra


No próximo sábado (dia 20 de Maio) realiza-se a Não-Conferência Fórum Terra, das 9.00 às 18.00, no Auditório Agostinho da Silva da Universidade Lusófona (Lisboa): uma importante iniciativa, no âmbito do Fórum Terra – Portugal a Cuidar da Terra Comum, a não perder. Este fórum, de que temos o grato prazer de ser embaixador, trata-se de uma oportunidade única de trocar experiências e pontos de vista, de 22 de Abril a 22 de Maio, sobre um amplo conjunto de questões acerca deste grande condomínio comum que é a Terra: que Modelos de Educação? de Saúde? de Economia? de Participação? que Relações? que Ética do Cuidado? que Políticas Locais?
Porque não basta Ser, há que Fazer: seja um FAZEDOR DE MUDANÇA.






segunda-feira, 15 de maio de 2017

Com o Coração

«E quando as suas pernas estiverem cansadas... Caminhe com o coração.»
João Paulo II


Atenção Plena

Workshop de Caminhada em Atenção Plena.... Uma iniciativa do Círculo do Entre-Ser e da Federação Portuguesa de Yoga, dia 20 de Maio, no Parque Florestal de Monsanto.



quarta-feira, 3 de maio de 2017

Caminhos

«Nem todos os caminhos são para todos os caminhantes.»
Goethe

Na verdade, OS CAMINHOS SÃO PARA TODOS, apesar de uns serem mais estreitos (empinados e/ou aéreos) do que outros...


 © da/na Net

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Waiting to...



"There There"

In pitch dark I go walking in your landscape
Broken branches trip me as I speak
Just cos you feel it doesn't mean it's there
Just cos you feel it doesn't mean it's there
There's always a siren singing you to shipwreck (don't reach out, don't reach out [x2])
Stay away from these rocks we'd be a walking disaster (don't reach out, don't reach out [x2])
Just cos you feel it doesn't mean it's there (there's someone on your shoulder [x2])
Just coz you feel it doesn't mean it's there (there's someone on your shoulder [x2])
There there...
Why so green
And lonely [x3]
Heaven sent you
To me [x3]
We are accidents waiting
Waiting to happen
We are accidents waiting
Waiting to happen

terça-feira, 11 de abril de 2017

Tempos (d)e Leituras

Verdade seja que, para elevar assim a leitura à dignidade de «arte» é mister, antes de mais nada, possuir uma faculdade hoje muito esquecida (por isso há-de passar muito tempo antes dos meus escritos serem «legíveis») uma faculdade que exige qualidades bovinas, e não as de um homem fim-de-século. Falo da faculdade de ruminar.
Nietzche (1887) in A Genealogia da Moral (Guimarães & Cª Editores, 1983, 4ª ed., p. 16)

Emersos naquilo que já foi apelidado, no século passado*, de “sociedade da informação”, e que outros definiram como sociedade hipermoderna ou hiperconsumista**, parece que nunca tanto gentio se sentiu detentor de tão prolífero “conhecimento”, tendo em conta a imensa quantidade, diversidade e facilidade de acesso a… “dados”. Aquilo que antigamente se poderia designar por “à mão de semear” e que agora é costumaz referir como conhecimento "à distância de um clique”, pronto a consumir num estilo tão fast como superficial, extemporâneo e, por vezes, descaradamente fake. É a democratização da “coltura”, ou a soltura neoliberal, geradora de um ilusionista “admirável mundo novo” ao jeito huxleyiano**. Não será, pois, de admirar que “toda a gente” (salvo seja) emita “doutos” pareceres ou (até) grosseiras “bocas”, sobre tudo e os ou as debite amiúde sobre a forma de “palavras ao vento”, ao redor de umas “mines” e tremoços, ou noutros (muitos) cenários igualmente propícios para tais proezas, mormente em virtuais ciber-ambientes.  

Nestes dias nos quais se constata o predomínio de grandes grupos económicos – em detrimento de pequenas e micro-empresas típicas de um comércio local e, portanto, de proximidade – confrontamo-nos com a tão lamentável quanto irreversível extinção de tradições ímpares e de importantes valores... Os centros comerciais e os hipermercados surgem, num cenário globalizante, como símbolos inequívocos dessa tendência monopolizadora e monocultural, mas o fenómeno é muito mais vasto e alastra-se a praticamente todos os sectores das sociedades pós-modernas. O mercado livreiro não é excepção e a demonstrá-lo está o fecho de numerosas editoras, livrarias e alfarrabistas. Maleita particularmente fatal nos projectos especializados mas que também afecta (e cada vez mais) opções generalistas. Neste contexto, será de enaltecer os projectos de nichos como a literatura de montanha e é, sem dúvida, fundamental apoiar/incentivar essas iniciativas que, salvo algumas raríssimas e honrosas excepções, surgem sob roupagens “românticas” ao estilo “último dos moicanos”!

É também neste contexto que surge como sumamente importante a reflexão sobre o que é “interesse público” ou “serviço público”, a par de outros conceitos aparentemente démodés, como “gratuitidade”, “dar tempo ao tempo” ou “ética”!... É igualmente neste contexto que será não só importante valorizar as editoras, livrarias e alfarrabistas, especialmente as que se dedicam a nichos como a literatura de montanha, mas também as bibliotecas públicas, onde possamos usufruir do prazer de desfolhar e aprender gratuitamente da leitura lenta e reflexiva de livros. É por essas e por outras razões que tenho o grato e o imenso prazer de constatar a presença dos livros de que sou autor em insignes livrarias e em diversas bibliotecas públicas.

Terry Portugal © Biblioteca Pública da Madalena (Pico-Açores, 2016)

Terry Portugal © Biblioteca Pública da Madalena (Pico-Açores, 2016)

Joaquim Figueiredo © Sala Multimédia da Biblioteca Municipal de Ponta Delgada (S. Miguel-Açores, 2017)

Pedro Cuiça © Livraria Cecílio (Barcelos, 2016)

Olivier Coucelos © Livraria Lello (Porto, 2017)


*Fritz Machlup (1902-1983) é o autor da obra que popularizou o conceito de sociedade da informação: The Production and Distribution of Knowledge in the United States (1962).
**O conceito surgiu nos anos 70 mas só viria a obter um notável destaque, em 2004, com a publicação da obra Os tempos hipermodernos, escrita pelo filósofo Gilles Lipovetsky, com a colaboração de Sébastien Charles.
***Aldous Huxley (1894-1963) foi um escritor inglês, autor de uma vasta e interessantíssima obra literária, de que se destaca o livro Brave New World (1932), traduzido para português sob o título O Admirável Mundo Novo.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Subida ao Pico

Venha SUBIR O PICO connosco, em Junho de 2017, numa actividade Green Trekker...




«O Pico é a mais bela, a mais extraordinária ilha dos Açores, duma beleza que só a ela pertence, duma cor admirável e com um estranho poder de atracção. É mais do que uma ilha – é uma estátua erguida até ao céu e moldada pelo fogo (…).»

Raúl Brandão in As Ilhas Desconhecidas (1926)


sexta-feira, 7 de abril de 2017

Ética e Deontologia


O Centro de Formação da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMP) vai realizar uma palestra, no dia 4 de Maio, na cidade do Porto, sobre a temática Ética e Deontologia em Desportos de Montanha. Esta Acção de Formação Contínua é reconhecida pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) com vista à atribuição de Unidades de Crédito para a revalidação de Títulos Profissionais de Treinador de Desporto (TPTD) nos diversos graus (I, II e III) das modalidades de Alpinismo, Montanhismo, Escalada, Pedestrianismo e Canyoning.
A acção de formação em causa visa abordar a importância da ética na condução de actividades e no treino em Desportos de Montanha, designadamente nas suas múltiplas vertentes: desportiva, ambiental e turística, entre outras. Nesse contexto, será efectuada uma explanação sobre o enquadramento, história e diversos conceitos no âmbito da ética normativa, ética ambiental e ética do desporto, tal como a aplicação da ética em situações concretas de tomada de decisões e dilemas éticos. Esta palestra vem na sequência, e é em tudo semelhante, a aula ministrada por nós, de 2014 a 2016, no âmbito da Unidade Curricular de Ética e Deontologia Profissional, do sexto semestre da licenciatura de Treino Desportivo, da Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM).

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Ultreya...

Na próxima quinta-feira (6 de Abril), realizarei um workshop, sob a temática “Percursos Pedestres de Longo Curso – Estratégias de progressão rápida e (ultra)leve”, no Auditório do INFARMED I.P.. A iniciativa, que decorrerá no Dia Mundial da Actividade Física, insere-se no plano de estágio do Curso de Treinadores de Pedestrianismo – Grau I levado a cabo por Mário Amorim sob o mote “Seis Aparições, Seis Peregrinações”.

Para mais informações, consulte a página do Facebook: Ultreya.

ENTRADA LIVRE: a sua presença será uma forma de apoiar o Albergue de Coz, um dos albergues de peregrinos da Associação de Amigos dos Caminhos de Fátima. 


sexta-feira, 31 de março de 2017

Walking Weekend

Nos dias 28 a 30 de Abril realiza-se o Walking Weekend’17, “o melhor festival de caminhadas da região centro”, no qual irei realizar o workshop Pedestrianismo enquanto Actividade Multifacetada: treino e enquadramento de praticantes. Apareçam!...





Para mais informações consulte a organização.
---------

Vera Raimundo © Fajão-Cultura (Fajão - Pampilhosa da Serra, 29/04/2017)